sexta-feira, 19 de março de 2010






A minha Páscoa




Ontem aconteceu um fato interessante, fui buscar minha mãe de uma consulta médica, ela foi submetida a um tratamento a laser nos olhos, e a anestesia havia acabado, causando dores. Antes de leva-la para casa, passamos em uma drogaria para comprar o remédio.

Na porta desta drogaria estava um homem bêbado ou drogado, não sei bem, que pedia um trocado para almoçar; até agora lugar comum, todos os pedintes estão com fome e nos abordam querendo comprar comida, mas sempre compram bebidas e drogas.

Quando ele abordou meu marido, ele disse que não e pronto. O esperto mendigo chegou á minha mãe , que prontamente lhe entregou R$ 1,50 (um real e cinqüenta centavos) que eram seus trocados.

Falei com ela para não dar, que este homem iria beber ou se drogar mais e possivelmente roubaria ou até agrediria alguém com a coragem que as bebidas e drogas lhe daria.

Ela concordou comigo mas me deu seus motivos para este ato.

Ela me disse que uma vez , em frente ao restaurante popular, um rapaz parecido com este homem, pediu um trocado e ela deu, ele entrou no restaurante e comeu. Como ela ia saber quem comeria e quem não? Como ela poderia decidir quem ficaria com fome ou não pelo seu ato? Então ela optou a dar para todos.

Na hora eu argumentei que se ficarmos dando este tipo de esmolas esta atitude fica cada vez mais fortalecida e mais e mais pessoas passarão a viver disto, bla bla bla....., mas o que quero tratar agora não é disto, é a respeito de pensamentos.

Minha mãe pensou como uma verdadeira cristã, que como não pode separar os justos dos maus ela resolveu considerar todos justos (pelo menos nos pedidos ) e ajudar a todos, o que me lembrou a passagem bíblica ..” E chegou-se Abraão, dizendo: Destruirás também o justo com o ímpio?....... Disse mais: Ora, não se ire o Senhor, que ainda só mais esta vez falo: Se porventura se acharem ali dez? E disse: Não a destruirei por amor dos dez” . Não foi um pensamento, o de minha mãe, completamente dentro de tempos de quaresma e preparação para a Páscoa, a festa do amor de Deus?

Vi como preciso de mais humildade e menos arrogancia diante dos acontecimentos e a realidade que torna nossos corações duros, e que mesmo sem apresentarmos a solução criticamos apenas os problemas.

Gente, o que estou defendendo agora, não é a legitimidade de um ato que tenho por falho, mas sim o pensamento cristão, completamente dentro do espírito de quaresma época em que devemos refletir exatamente esta caridade e amor ao próximo para o preparo de nossa Páscoa.

Li um livro em que o protagonista diz ,” a cada um será contado a sua história”, então, esta é a história de minha mãe e de seu pensamento e não a do mendigo que vai fazer lá o que quiser com o trocado que ela lhe deu, é a história dele e a ele será contada.

Que o gesto de amor ao próximo seja um exemplo a seguir, não ao gesto, mas a motivação. Assim acredito estaremos com nosso coração preparado para a Páscoa.

Feliz Páscoa a todos, menos ovos mais AMOR.

Acho que me enrolei um pouco, me perdoem, tomara que tenha conseguido passar a idéia, quase não dormi pensando nisto.

Um comentário:

kika disse...

Nós somos seres imperfeitos, não sabemos agir sem julgar.
Nossa mami tem razão, ela faz a parte dela.

Lembro disto todas os anos em que na associação na qual participo e que tem distribuição de cestas basicas no final do ano para as familias cadastradas, sempre tem aquele que chega perto do dirigente e fala .."aquele fulano ja pegou duas...mandou o filho pra pegar outra...isto nao pode acontecer..."

Acontece sim, a gente tenta de todas as maneiras agir com a razão, mas o nosso papel é ajudar e nao julgar.

Deus não deixa faltar nada, temos sempre aquilo que merecemos.

Faça a sua parte!